Hospital Santo Antônio está recuperado

Há 50 anos

Há 50 anos

Coluna que mostra o que foi notícia em A Voz da Serra 50 anos atrás.

sábado, 10 de março de 2018

Edição 10 e 11 de março de 1968

Pesquisado por Guilherme Alt

Manchete:

  • Nosso hospital está recuperado: Conseguiu o provedor do Hospital Santo Antônio, ex Santa Casa de Misericórdia, dr. Augusto Cláudio Ferreira – recuperar totalmente a situação econômico-financeira do utilíssimo nosocômio, colocando rigorosamente em dia as dívidas até então existentes. Não deve o mencionado hospital, dispondo de seu almoxarifado de regular quantidade de gêneros e medicamentos. O modelar centro cirúrgico que tanto orgulha o estabelecimento está classificado como de primeira categoria e considerado como um dos melhores, é também, realização da atual.

Sociais:

  • AVS registra os aniversários de: Alice Ventura, Alice Vasconcellos, Terezinha Almeida (11), Manoel Henrique, Hamilton Ventura, Lucília Azevedo (12), Maria das Graças, Maria José Cúrio, Helena Barros (14), Lenita Vilarinho, Fernando Vassallo, Maria Coelho Braune (15), Paulo Guilherme Tesarollo (16).

Colunas:

  • Nelson Kemp assina “Salve - a Jovem Guarda”. “A Jovem Guarda friburguense  esteve em festa no último sábado comemorando com uísque nacional e estrangeiro as 80 risonhas primaveras de uma figura tradicional da cidade, Joaquim Moreira de Araújo Neto, o sempre elegante Quincas Carteiro. Era excelente gráfico, chefiou várias oficinas tipográficas e o seu componedor, trabalhou nos jornais da terra, puxando linha, deliciando-se com originais do cronista dominical – o poeta Júlio Salusse, nas páginas da 1ª fase de “O Nova Friburgo”. Ingressando no DCT, o Quincas assumiu as funções de carteiro inovando a profissão, entregando a correspondência aos próprios destinatários. Abria as portas entrava , sentava-se à mesa do dono e gritava para a senhora: “‘Dona Filomena, olha o cafezinho do carteiro’”.
  • Em “Ordem do Dia”, Pedro Cúrio assina “No Mundo dos Livros”. “Esta cidade sendo uma das mais destacadas do Estado do Rio de Janeiro pelo seu vibrante movimento cultural e educacional, acompanha com justo interesse e movimento que a indústria de livros vem produzindo intensamente como registramos na escolha de bons livros. “A Bíblia da Humanidade”, de Michelet, traduzido por Romualdo Sinter, vastamente ilustrada, é uma arrojada publicação das “Edições de Ouro”, compreendendo mitologias da Índia, Pérsia, Grécia e Egito”.
  • Em “Nova Friburgo na Sociedade”, W. Robson assina “Rogai por nós, onde estiveres!”. O cronista narra histórias de sua mocidade para homenagear sua mãe, que havia falecido poucos dias antes. “Quando criança, pobre do cronista não caminhasse firmemente ao lado da mamãe, à missa das sete e meia. Lembro-me ainda quando, infantilmente, menti sobre ter ido à igreja, ficando em violenta “pelada” no jardim da Matriz de Sant’Ana. Da minha falta, mamãe só teve conhecimento quando já me achava lampreiro na matinê do Cine Central. A denunciante foi a mana Tuta, desde neném católica dos pés a cabeça. Ao iniciar o segundo capítulo de “Tarzan, Rei das Selvas”, bateram em meus ombros. Era ela. Séria como Armando Marques em dia de Fla x Flu, sem dizer uma só palavra colocou-me a sua frente e o resto vocês já sabem... Morreu Maria José Thurler, a santa da nossa rua. Rogai por nós onde estiveres, como assim a fez tantas e tantas vezes em vida pela recuperação espiritual desde cronista, que escrever agora amargurado e sumamente grato por ter sido por ela, ainda em tempo, acordado para sublime realidade do ‘Amar a Deus sobre todas as coisas deste mundo’”.
Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Há 50 anos

Há 50 anos

Coluna que mostra o que foi notícia em A Voz da Serra 50 anos atrás.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.