Direitos autorais expirados

Leo Arturius

Cinema

Leo Arturius é cineasta e assina a coluna semanal analisando a 7ª arte e os filmes em cartaz em Nova Friburgo

sábado, 21 de abril de 2018

Estamos em abril e a contagem regressiva para 2019 já começou. Os direitos autorais de 35 filmes mudos vão expirar e se tornará de domínio público, será possível exibi-los em qualquer lugar do mundo sem custos. Filmes de Charlie Chaplin, Cecil B. DeMille e Buster Keaton estão entre as “centenas de milhares” de livros, partituras e filmes que entrarão em domínio público em 1º de janeiro, de acordo com o The Atlantic numa pesquisa inédita do Centro para o Estudo do Domínio Público da Duke University School of Law. Todos os trabalhos foram disponibilizados ao público em 1923, quatro anos antes das alterações nas leis de direitos autorais. Esta será a maior coleção de material a perder suas proteções de direitos autorais desde 1998.

A lista conta com todos os dez maiores desempenhos nas bilheterias americanas de 1923, sendo o número um o filme da Paramount Pictures: Os Bandeirantes (The Covered Wagon). Também poderemos desfrutar da versão original de Os Dez Mandamentos (The Ten Commandments) de DeMille, que em 1956 fez remake de seu filme com o ator Charlton Heston no papel de Moisés. O emblemático cineasta Charles Chaplin terá dois filmes livres de encargos: Pastor de Almas (The Pilgrim) e Casamento ou Luxo (A Woman of Paris: A Drama of Fate). A estreia no cinema do ator Douglas Fairbanks Jr. em Tesouros da Mocidade (Stephen Steps Out) também estará disponível, que, até sua última atuação em 1989 trabalhou em 99 obras.

Vamos a alguns filmes da extensa lista:

  • O Diário de Glumov (Dnevnik Glumova), de Sergei M. Eisenstein
  • A Rosa Branca (The White Rose), de D.W. Griffith
  • As Três Idades (Three Ages), de Edward F. Cline e  Buster Keaton
  • The Mummy, de Norman Taurog
  • Nossa Hospitalidade (Our Hospitality), de John G. Blystone e Buster Keaton
  • Her Accidental Husband, de Dallas M. Fitzgerald
  • Almas à Venda (Souls for Sale), de Rupert Hughes
  • A Roda (La roue), de Abel Gance
  • Where the North Begins, de Chester M. Franklin
     
  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

  • Foto da galeria

Publicidade
TAGS:

Leo Arturius

Cinema

Leo Arturius é cineasta e assina a coluna semanal analisando a 7ª arte e os filmes em cartaz em Nova Friburgo

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.