Vinícius Gastin

Estrela Solitária

Vinicius Gastin é Jornalista, Radialista, Comentarista Esportivo, Apresentador e Produtor de TV e Assessor de Imprensa. Friburguense de coração e de alma, botafoguense por vocação. Apaixonado por futebol e eterno seguidor da Estrela Solitária...

Botafogo, meu destino... E que destino, obstinado, talvez até sem destino. Nunca pedimos nada, na verdade. Aceitamos o Botafogo do jeito que ele é, e não mudaríamos nada. Não torcemos, vivemos. Apoiamos, criticamos sim, é verdade, porque quem ama cuida. Quem ama deseja o melhor, ainda que nem sempre esse melhor seja compreensível para um simples ser humano. Mas o botafoguense não é simples, e sim complexo, completo.

Leia mais

Dia 10 de agosto de 2017. Lá vamos nós, de Nova Friburgo com destino ao estádio Nilton Santos. Este que vos escreve e mais quatro amigos, que assim como milhares, abriram mão de compromissos, do conforto de sua moradia, da companhia da família. Moradia sim, porque casa o Nilton Santos também é. Porque de todos os amores que temos na vida, o Botafogo é diferente. Ou seria o Botafogo a nossa própria vida, que nos ensina a lidar com os demais amores? Ainda não consigo definir.

Leia mais

Graças a Deus e aos movimentos populares, o tempo da ditadura foi vencido. A censura – pelo menos na teoria – já não limita a liberdade de expressão, tampouco há (ou deveria não existir) repressão às mais diversas e distintas opiniões. Mas esse texto não é direcionado a debater essa passagem na história da sociedade brasileira. Após essa breve viagem, chegamos ao assunto principal da nossa Coluna, e um dos mais importantes da nossa vida: o Botafogo.

Leia mais

Em 2014, praticamente foi decretado o fim do Botafogo de Futebol e Regatas. Falava-se em processo irreversível de falência, questionava-se o futuro e até mesmo o presente à época. A mesma mídia que finge desprezar o clube parece viver à espera de um deslize para transformar uma gota em tempestade. Pouco tempo depois são praticamente obrigados a noticiar o contrário, contradizendo as próprias previsões enganosas e desrespeitosas sobre um dos maiores clubes do mundo, assim eleito pela FIFA. O Brasil de uma forma geral deveria ser mais grato ao Botafogo.

Leia mais

Dia 7, do mês 7, do ano de 2017. Emblemático pela mágica dos números, pelo momento, pelo Botafogo. Pelo 7 que diferencia o Clube da Estrela Solitária de qualquer outro. Acordamos neste 7 de julho, mas ainda não despertamos. O sonho continua, mais vivo do que nunca. Possível como sempre. Aguardado e desejado, talvez, como jamais antes. Pela torcida, pela atmosfera, pelos resultados, pelas circunstâncias. Pelo grupo de jogadores, que carrega consigo a mesma fome de cada torcedor botafoguense. Santa comunhão!

Leia mais

Nos últimos 13 meses o Botafogo entrou em campo sem uma parte da sua história recente. Sem parte do orgulho de quem sabe valorizar quem valoriza a história. Sem aquele que transformou a própria história em Botafogo. Jéfferson e Botafogo, Botafogo e Jéfferson. Unidos pela singularidade capaz de transformar qualquer pluralidade em um só coração. No mesmo pulso, ritmo, sentimento. Jéfferson é o torcedor alvinegro personificado em jogador. Desde Túlio Maravilha, jamais comprei uma camisa do Botafogo sequer com o nome de quem quer que seja. A sua comprei.

Leia mais

E esse tal dia 14 de junho que não chega!? A expectativa é muito parecida com a da pré-Libertadores, onde cada alvinegro aguardava com ansiedade a definição do primeiro adversário, e do caminho a ser percorrido até a fase de grupos. Desafios superados, o botafoguense agora quer conhecer o próximo desafio pelas oitavas de final, rumo ao desfecho de uma das histórias mais surpreendentes do futebol mundial. Entre uma expectativa e outra, há obstáculos vencidos, sustos, heroísmo, momentos inesquecíveis, shows da torcida e alertas para serem observados.

Leia mais

E o Botafogo chegou. O time que não subiria em 2015, passaria por uma nova situação difícil em 2016, não chegaria à Libertadores deste ano, não passaria do Colo Colo, seria eliminado pelo Olímpia e jamais se classificaria no grupo considerado como o da “morte” chegou. Está lá, entre os 16 maiores clubes da América do Sul na atualidade. Outros, mais poderosos financeiramente, não estão. Dinheiro não ganha jogo. Pode ajudar, mas desde que a sua aplicação tenha fundamento e planejamento. O Botafogo não tem caixa, mas tem camisa - sem ironias ou piada de duplo sentido, claro.

Leia mais

Como assim eu não gosto de futebol? Por que então o coração começa a palpitar já na véspera de um jogo importante, ou mesmo de uma partida normal, desde que tenha a Estrela Solitária envolvida? Por que então trocamos momentos de lazer — e até mesmo compromissos — pelo simples prazer de assistir o preto e o branco colorirem as nossas vidas durante pelo menos 90 minutos (e o jogo nunca termina no apito final)?

Leia mais

Esse 3 de maio está estranho. Parece que a noite do dia 2, de tão mágica eu se anunciava, sequer existiu. Das arquibancadas para fora sim, das cadeiras para dentro não. Houve comunhão, mas não houve casamento. O combustível de cada um dos alvinegros incendiou o estádio, que se transformou em uma brilhante constelação guiada pelo escudo – e pelos escudos – mais bonito do mundo.

Leia mais